Cerveza Bock, la cerveza alemana de la cabra

Hoje estou aqui para contar uma história sobre um estilo de cerveja alemã. Uma história em que você encontrará cabras, nobres mesquinhos e monges que jejuam bebendo cerveja. Interessante né?

No 21 de março celebra-se a chegada da primavera, e esta festa pagã era muito importante entre os habitantes da Europa central, onde depois de passar um inverno rigoroso, começaram a ver os primeiros raios de sol e o início das colheitas.

Essa festa também foi usada pelos cervejeiros para esvaziar suas adegas e abrir espaço para a nova remessa, que viria depois do verão. Na Alemanha, nesta festa da primavera, bebiam principalmente Maibock, um estilo com uma origem muito particular.

Cerveza bock, la cerveza de la primavera

Maibock: a cerveja da primavera

Einbeck, atualmente no estado da Baixa Saxônia, já era um renomado centro cervejeiro no século X, mas foi a partir de 1368 com sua adesão à Liga Hanseática que o comércio experimentou um grande boom, representando a maior cidade do mundo . mais de meio mil estabelecimentos autorizados a fabricar cerveja.

As cervejas Einbeck eram conhecidas por serem escuras, muito saborosas e encorpadas. Além disso, uma de suas qualidades mais apreciadas era que aguentavam muito bem em viagens longas. E assim eles foram exportados para lugares tão distantes quanto Inglaterra, Rússia e Escandinávia.

Mas acontece que um nobre da época, Maximiliano I da Baviera, achou os custos de envio de Eibbeck para Munique muito caros, então contratou um produtor local para vir à capital e fabricar esse estilo lá tão rico. Quando chegou a Munique, o cervejeiro descobriu que a água era muito mais alcalina do que em sua cidade e que o malte era melhor seco de forma mais intensa. Ele também descobriu o envelhecimento em adegas nos Alpes e o incorporou à fabricação de cerveja.

Se essa lenda é verdadeira ou não, a realidade é que Bock –e mais tarde Maibock- nasceu da união de duas tradições cervejeiras.

Cerveza bock, la cerveza de la cabra

Bock: A cerveja do bode

Esta receita ganhou muita popularidade especialmente na Baviera, em cujo dialeto local o nome da cidade era pronunciado como "Einbock". Com o tempo, o nome foi encurtado para simplesmente "Bock", uma palavra que coincidentemente significa "cabra" em alemão. Hoje muitas cervejas desse estilo ainda têm um bode no rótulo.

De cor marrom escuro, possui aromas intensos de malte que lembram broa de milho, nozes e toffee. Na boca, como no aroma, o lúpulo não se destaca, sendo o malte o protagonista com uma rica doçura. É uma cerveja encorpada e nutritiva.

Doppelbock: a cerveja dos monges na Quaresma

Na verdade, as bocks são tão nutritivas que os monges da Ordem dos Mínimos, que é chamada de Orden Paulaner em alemão desenvolveram uma versão de malte ainda mais pesada para servir de alimento durante o jejum de Natal. . Ou seja, eles não comiam, mas bebiam cerveja. Que espertos os monges!

Doppelbock: la cerveza de los monjes en Cuaresma

Eles o chamavam de Doppelbock, significando que significava versão dupla. Se você quiser fazer como eles, em nossa loja temos o Sevebrau Bunny Doppelbock, um duplo forte que pode te enganar com os coelhinhos da Páscoa fofos em sua rótulo, mas com intenso aroma de malte e alto teor alcoólico.

E se quiser experimentar mais cervejas desse estilo, recomendamos a Yakka Salto de Trigo Hoppy Weizen Bock, que agora troca cabras por tigres que adiciona 50% de trigo, o que lhe confere uma complexidade extra.

De qualquer forma, e com sua cerveja favorita, Feliz dia de primavera!

Cerveza bockCerveza de primavera

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados